22
mai

2019

Rio Deserto recebe Prêmio de Excelência da Indústria Minero-Metalúrgica Brasileira

TAGS:

Foto_Premiação

Um projeto desenvolvido por colaboradores da Unidade de Extração Mina 101, da Rio Deserto, localizada em Içara (SC), foi premiado na noite desta terça-feira, dia 21, no 21º Prêmio de Excelência da Indústria Minero-Metalúrgica Brasileira. O evento aconteceu em Belo Horizonte (MG). Com o título, a Rio Deserto soma sete anos de premiações, conquistadas entre 2010 e 2019. O reconhecimento revela a atenção da organização quanto às melhorias de processos.

O estudo, intitulado “Redução de custos e aumento de disponibilidade nos equipamentos (com foco em pneus)”, foi desenvolvido a partir da percepção das paradas de produção em subsolo decorrentes das trocas de pneus, assim como o alto custo de consertos e aquisições. O projeto teve a autoria dos colaboradores Adilmar da Silva, Alexsandro Heerdt, Jeferson Bittencourt, Jefferson Rodrigues e Rauan Martins, e foi supervisionado pelo engenheiro de minas e gerente da unidade, Fabio Vanzeloti da Rosa, e pelo engenheiro mecânico, Geovane Rosso Felipe.

O Prêmio de Excelência da Indústria Minero-Metalúrgica Brasileira é organizado pela Revista Minérios e Minerales. O objetivo é divulgar, anualmente, as melhores tecnologias, processos e conceitos aplicados em mineradoras de todo o Brasil.

O projeto vencedor

Para o desenvolvimento do projeto “Redução de custos e aumento de disponibilidade nos equipamentos (com foco em pneus)”, a equipe de colaboradores identificou duas causas de danos aos pneus no subsolo da mina: a presença de resíduos metálicos no chão (eletrodos, pregos, parafusos e outros), e o aquecimento e posterior redução da viscosidade do óleo que vaza dos cubos da roda, escorrendo para o interior dos pneus. Para o primeiro problema, o grupo de colaboradores propôs instalar ímãs fixados a um suporte, nos para-choques dos tratores, tendo em vista recolher os materiais do chão que, porventura, poderiam danificar os pneus. Já para o segundo problema, a solução foi a substituição do produto lubrificante (óleo) pela aplicação de graxa, que é mais resistente à temperatura e ao trabalho mecânico do cubo de roda.

Os colaboradores desenvolveram o estudo por meio do Programa de Inovação e Qualidade (PIQ) da Rio Deserto, que incentiva os profissionais a proporem soluções e melhorias aos processos das unidades. Todos os anos, mais de 40 equipes de colaboradores se mobilizam, colocando projetos em prática. As ideias são acolhidas, premiadas e aplicadas nas unidades da empresa. “Trata-se de um reconhecimento aos esforços dos colaboradores pela inovação, redução de custos, produtividade, qualidade, segurança, meio ambiente, educação, responsabilidade social, entre outros temas”, explica a coordenadora de gestão da qualidade da Rio Deserto e coordenadora do PIQ, Cleusa Maria Souza Ronsani.

Histórico de premiações da Rio Deserto no Prêmio de Excelência

2010: Projeto “Tratar para preservar”
2011: Projeto “Extração mecanizada em subsolo, uma porta para o futuro”
2012: Projeto “Reposição automática de estoques: reduzindo o time e otimizando estoque físico”
2016: Projeto “Caminhos & Escolhas”
2017: Projeto “Melhoria da ferramenta para escoramento de teto”
2018: Projetos “Proteção do Eixo Excêntrico” e “Adaptação no suspiro do tanque no minerador contínuo”
2019: Projeto “Redução de custos e aumento de disponibilidade nos equipamentos (com foco em pneus)”

TAGS:

fb-like
fb-share