29
mar

2019

Içara Mais Doce: apicultores relatam importância do apoio da Rio Deserto

TAGS:

Foto_1

O perfume adocicado revela onde estamos: em meio aos eucaliptos melíferos doados pela Rio Deserto para os apicultores do município de Içara, por meio do Projeto Içara Mais Doce. Em alguns terrenos as mudas recém plantadas começam a despontar, em outros já existem grandes árvores plantadas há cinco, dez e até quinze anos. Anualmente, a Rio Deserto doa mais de 50 mil mudas de eucalipto melífero, beneficiando mais de 40 produtores de mel, que fazem parte da Associação dos Apicultores de Içara (API).

Os apicultores explicam que o apoio da Rio Deserto vai além do incentivo à produção de mel. “Depois de alguns anos, os proprietários dos terrenos onde são plantados os eucaliptos, também se beneficiam com a madeira. Funciona da seguinte forma: eles nos cedem um espaço para o plantio de eucaliptos, nós atuamos na apicultura, e após um período, eles podem vender os eucaliptos, obtendo também uma renda”, destaca um dos produtores de mel, Agílio Angelino Manuel. Segundo ele, o apoio da empresa tem sido de grande importância para incentivar os apicultores. “Só temos a agradecer. Ficamos muito felizes em contar todos os anos com esta parceria”, sublinha.

Outro apicultor, José Tibimcoski, que trabalha há 20 anos na apicultura, afirma que o eucalipto melífero doado pela Rio Deserto é o de melhor custo-benefício existente. “Isso é um grande incentivo para nós, produtores de mel. Todo apoio é sempre muito bem-vindo. Em cada hectare de terra são plantadas em torno de 2.500 mudas de eucalipto e não precisar comprá-las é bastante vantajoso”, explica.

O projeto Içara Mais Doce existe desde 2010, sendo fruto de uma parceria da Rio Deserto com a Associação de Apicultores de Içara (API). Atualmente, a API tem 42 associados, com 400 a 500 caixas cada, o que totaliza algo em torno de 21 mil colmeias e pelo menos 700 apiários. Isso em cerca de 200 propriedades na região sul catarinense. O município de Içara está entre as cidades catarinenses com produção mais expressiva de mel, tanto que tem o título de Capital do Mel.

TAGS:

fb-like
fb-share