07
jan

2019

Metodologia GRI Standard começa a ser estudada para aplicação no Relatório de Sustentabilidade da Rio Deserto

TAGS:

IMG_2409_

Com o objetivo de compreender as principais características e conceitos da metodologia GRI Standard (Global Reporting Initiative), de modo a incorporá-la ao Relatório de Sustentabilidade da Rio Deserto, a secretária executiva Sandrelí Vieira de Jesus e a jornalista Vanessa Nórdio participaram de workshop específico sobre o assunto. O evento aconteceu no dia 20 de dezembro no auditório da Ferrovia Tereza Cristina, no município de Tubarão, e foi ministrado por Marcos Teixeira, do Sociesc (Sociedade Educacional de Santa Catarina), com sede em Joinville. Na ocasião, estiveram presentes colaboradores da Ferrovia Tereza Cristina e da Transferro.

No workshop, destaque para assuntos voltados às etapas e ações a serem tomadas para a elaboração de relatórios de sustentabilidade a partir dos temas materiais para a organização e diretrizes GRI. A norma, reconhecida mundialmente, se equipara a uma ISO, revelando a qualidade e a atenção da empresa com diversos aspectos. As empresas que adotam as diretrizes GRI conquistam mais credibilidade e confiança no mercado porque relatam impactos positivos e/ou negativos sobre meio ambiente, sociedade e economia, além dos compromissos e ações assumidas de forma a melhorar a performance e atuação.

As participantes do workshop e responsáveis pela elaboração textual do Relatório de Sustentabilidade da Rio Deserto, explicam que para a efetivação da GRI Standard há um caminho extenso a ser percorrido, por isso, algumas medidas já serão tomadas. “A princípio, vamos adequar os textos do documento às diretrizes da GRI, por isso no Relatório de Sustentabilidade 2018, que será publicado neste ano de 2019, já serão perceptíveis algumas mudanças. Posteriormente, a intenção é cumprir todas as etapas do processo tornando o Relatório de Sustentabilidade da Rio Deserto adequado à norma GRI Standard”, afirmam.

A metodologia GRI Standard

A metodologia GRI Standard para relatórios de sustentabilidade foi lançada, oficialmente, em junho de 2018. Até então, a metodologia utilizada mundialmente para a elaboração dos documentos era a GRI G4. Se tudo acontecer conforme planejado, a Rio Deserto deve ser uma das primeiras empresas de Santa Catarina a atender à nova norma.

Entre os benefícios da GRI Standard, destaque para a melhoria do diálogo entre clientes, investidores e relevantes stakeholders, transparência das ações da empresa, e desenvolvimento de estratégia de gestão adequada para os indicadores socioambientais e econômicos dentro da empresa. De forma geral, as informações do relatório embasado no GRI apresentam bons caminhos para a construção de uma sociedade e uma economia que beneficiem a todos e que servem para apresentar, identificar, avaliar e gerir indicadores de sustentabilidade das empresas e instituições públicas e privadas, com foco no desenvolvimento sustentável e na construção de um mundo e de uma economia mais estáveis e seguros para todos.

TAGS:

fb-like
fb-share