Publicado em: 16/12/2019

Principais ações e conquistas do Instituto Felinos do Aguaí são apresentadas à Rio Deserto


Principais ações e conquistas do Instituto Felinos do Aguaí são apresentadas à Rio Deserto


A bióloga e coordenadora do Instituto Felinos do Aguaí, Micheli Ribeiro Luiz, apresentou à Rio Deserto, no início de dezembro, o relatório das principais ações e conquistas obtidas em 2019. A explanação de dados do Programa de Educação Ambiental e do Programa de Pesquisa foi acompanhada por um dos administradores da Rio Deserto, Valcir José Zanette, pelo assessor financeiro, João Gabriel Pagnan Zanette, e pelo assessor administrativo, Eduardo Netto Zanette. A Rio Deserto é parceira do Felinos do Aguaí desde 2006, quando o projeto foi criado.

Programa de Educação Ambiental e de Pesquisa

No Programa de Educação Ambiental, destaque para as palestras, participação em eventos, produção e divulgação de materiais educativos, trilhas interpretativas na Reserva Biológica Estadual do Aguaí e Reserva São Francisco e visitações ao Centro de Educação Ambiental do Instituto Felinos do Aguaí. Ações que, durante o ano, envolveram diretamente mais de 2 mil pessoas.

Ênfase também para a inauguração do anfiteatro em meio à natureza, localizado na Reserva São Francisco, em Nova Veneza (SC), e para a criação de um recinto para felinos silvestres, que será um importante instrumento educativo no processo de sensibilização das pessoas para a conservação das espécies.

Significativos avanços também marcaram o Programa de Pesquisa em 2019, com registros, inclusive, de filhotes de leão-baio na Reserva Biológica Estadual do Aguaí. Foi feita ainda a aquisição do primeiro rádio colar via satélite para colocação em leão-baio, uma tecnologia de monitoramento que possibilita dados surpreendentes e inéditos da vida silvestre. A reintrodução de felinos silvestres à natureza e a campanha de captura também movimentaram o ano.

Planos para 2020

Em 2020, segundo a bióloga Micheli Ribeiro Luiz, a pretensão, no Programa de Pesquisa, é seguir com o monitoramento de felinos silvestres. Além disso, deve ser dado início ao controle de animais domésticos por meio de castração no entorno das áreas protegidas, ao controle de javalis na Reserva São Francisco e na Reserva Biológica Estadual do Aguaí, ao censo de atropelamento de felinos silvestres nas rodovias de Santa Catarina e à realização de Expedição Científica, para contribuir diretamente com o Plano de Ação Nacional (PAN) Territorial Planalto Sul para conservação das espécies ameaçadas de extinção.

No Programa de Educação Ambiental, por sua vez, os esforços devem se concentrar em colocar o recinto para felinos silvestres em operação, produzir materiais educativos e promover o desenvolvimento das atividades oferecidas no Centro de Educação Ambiental, instituições de ensino e comunidades locais.

Felinos do Aguaí

O Instituto Felinos do Aguaí é uma organização não governamental dedicada à conservação de felinos silvestres da Reserva Biológica Estadual do Aguaí e no entorno. O projeto, criado em 2006, conta com a parceria da Rio Deserto e atende os municípios da região carbonífera Sul Catarinense (AMREC), contribuindo com o meio ambiente e a sociedade por meio de pesquisa, educação ambiental e envolvimento com as comunidades locais.

Receba novidades diretamente em seu e-mail

Fique tranquilo, não enviaremos spam.